CONTATO

Cursos Bíblicos Fonte de Luz

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Sua Igreja Precisa conhecer a Igreja Perseguida

Sua Igreja Precisa conhecer a Igreja Perseguida

Quatro domingos de testemunho de Países que mais perseguem os Cristãos.

1º Domingo
Coréia do Norte

População
A população norte-coreana é de pouco mais de 23 milhões de pessoas. Etnicamente, ela é constituída quase que totalmente por coreanos (99%). Há um pequeno número de chineses e japoneses.
Segundo estimativas do governo, 70% da população não professa nenhuma religião.
Quase 100% da população é alfabetizada e tem acesso à educação.
A população sofre com a fome - 36% dela é subnutrida.

A Igreja
Menos de 2% da população é cristã, apesar de o cristianismo ter uma longa história na região. Antes da guerra, o país era palco de um avivamento. A capital, Pyongyang, abrigava quase meio milhão de cristãos, constituindo na época 13% da população. Após a guerra, muitos cristãos fugiram em direção ao sul ou foram assassinados.

A Perseguição

Ser cristão é perigoso na Coréia do Norte; por isso o país ocupa, pelo sexto ano consecutivo, a primeira posição na Classificação de países por perseguição. O Estado não hesita em torturar e matar qualquer um que possua uma Bíblia, esteja envolvido no ministério cristão, organize reuniões ilegais, ou até que tenha contato com outros cristãos
Desde o final do século 19, cerca de cem mil norte-coreanos mantêm a fé cristã clandestinamente.
Os cristãos que sobrevivem às torturas são enviados para os campos de concentração. Lá, as pessoas recebem diariamente alguns gramas de comida de má qualidade para sustentar o corpo que trabalha por 18 horas. A menos que aconteça um milagre, ninguém sai desses gigantes campos com vida

Pedidos de Oração
1. Ore para que novas oportunidades de evangelismo sejam descobertas.
2. Ore para que o vazio dessa falsa religião torne-se evidente e para que os norte-coreanos busquem o Deus verdadeiro.
3. Ore para que ministérios cristãos consigam suprir o país com Bíblias


2º Domingo

Irã
O Irã ocupa a segunda posição na classificação de Paises que mais perseguem os Cristão. Irã é o nome atual da antiga Pérsia, cenário de muitas histórias bíblicas. Entre elas encontram-se a história de Daniel na cova dos leões,

População
Os persas, principal etnia do Irã, compõem apenas metade da população de 65 milhões. O restante da população se divide entre os grupos: árabe, azeri, baluche, curdo, gilaki, lur, mazandarani e turcomano. São faladas 77 línguas no país.

Igreja
A religião oficial do país é o islamismo, e os xiitas são a maioria. Existem pequenas minorias de zoroastras, bahaístas, judeus e cristãos. A Igreja está presente no país desde épocas remotas, como do Antigo Testamento. As igrejas oficiais (registradas no governo) têm, juntas, cerca de 150 mil membros. A maior parte desses é de origem armênia ortodoxa, mas há também alguns milhares de protestantes e católicos romanos. Embora os direitos de cristãos, judeus e zoroastras sejam assegurados pela Constituição, na prática, todos são vítimas de retaliação e perseguição. Ex-muçulmanos são também oprimidos pela sociedade. Eles têm dificuldade em encontrar e manter um emprego, pois são demitidos quando se descobre que são convertidos. Aqueles que começam um negócio próprio têm problemas em fazer a clientela. Para esses cristãos, é difícil ganhar dinheiro.

Perseguição
Cristãos ativos sofrem pressão. São interrogados, detidos e, às vezes, presos e agredidos. Casos mais críticos envolvem até a execução. Além da violência exercida pelas autoridades, os ex-muçulmanos são também oprimidos pela sociedade.


Pedidos de Oração
1. Ore para que haja oportunidades de treinar pessoas, e que os métodos e materiais necessários estejam disponíveis.
2. Ore para que a Igreja iraniana encontre meios discretos para testemunhar.
3. Ore por suas viúvas, que têm de cuidar dos filhos com poucos recursos.

3º Domingo

O Afeganistão
Os pataneses compõem o maior grupo étnico e constituem aproximadamente 42% da população do país. O segundo maior grupo, com 27% da população, é formado de tadjiques, seguido por hazaras e uzbeques. Do total de 28,2 milhões de habitantes, 44,6% possuem menos de 15 anos.
Cerca de 99% da população é muçulmana e deste grupo 80% são sunitas. Há algumas minorias religiosas, incluindo os cristãos.

O Talibã

O Talibã intensificou suas atividades entre 2007 e 2008; As milícias talibãs intimidam a população nas áreas rurais, fazendo "visitas noturnas", nas quais sequestram funcionários públicos e pessoas que se opõem em sua forma de pensar.

A Igreja
O cristianismo chegou ao Afeganistão nos primeiros séculos da era cristã. Em 1970 o país teve a sua primeira igreja cristã evangélica. Contudo, em 1973 o edifício foi completamente destruído e as fundações foram cavadas em busca de uma igreja subterrânea.
Afegãos se converteram com o ministério de missionários no país. Com a tomada do poder pelo Talibã, todos os missionários cristãos e a maioria dos cidadãos ocidentais foram expulsos do país.

A perseguição

A princípio, todos os afegãos são considerados muçulmanos. O Artigo 3 da Constituição afegã sustenta que "Nenhuma lei pode ser contrária à crença da sagrada religião do islã". Os não-muçulmanos residentes no país podem praticar a sua fé, mas não podem evangelizar. Os convertidos sofrem uma enorme pressão. Em geral, eles têm três dias para se retratar e voltar ao islamismo; caso contrário podem morrer. Por isso, a maior parte dos convertidos guarda sua fé para si e só a compartilha com pessoas que consideram dignas de confiança.

Pedidos de Oração
1. Ore para que novas oportunidades de evangelismo sejam descobertas.
2. Ore para que esta pequena abertura na esfera governamental possa expandir-se rapidamente.
3. Ore para que o vazio dessa falsa religião torne-se evidente e para que os norte-coreanos busquem o Deus verdadeiro.


4º Domingo

Arabia Saudita
Circundada pelo Mar Vermelho e pelo Golfo Pérsico, a Arábia Saudita está localizada no coração do Oriente Médio e faz fronteiras com sete países. Um acontecimento importante foi o nascimento de Maomé, em 570. Por seu intermédio, o islã foi fundado no século VII e, desde então, as batalhas políticas e históricas ficaram restritas às várias vertentes islâmicas lutando pelo poder.

População

Exitem milhões de estrangeiros trabalhando no país: 1,4 milhão de indianos, um milhão de bengaleses, 900 mil paquistaneses, 800 mil filipinos, 750 mil egípcios, 250 mil palestinos, 150 mil libaneses, 130 mil cingaleses, 40 mil eritreus e 25 mil norte-americanos. Imigrantes do Sul e Sudeste Asiático são, em particular, sujeitados a condições de trabalho que constituem servidão. São submetidos a abusos físicos e sexuais, e não recebem seus salários.

Religião, Igreja e a Perseguição

Entre os estrangeiros há muçulmanos, cristãos, hindus e budistas. Cerca de 90% da comunidade filipina é cristã.
O islamismo é praticado por 100% da população saudita. De acordo com a tradição, o apóstolo Barnabé foi o primeiro a levar o evangelho à Arábia Saudita. Atualmente, a maioria dos cristãos no território saudita é constituída de estrangeiros que vivem e trabalham nas bases militares ou para as companhias de petróleo. Há convertidos sauditas, mas é extremamente difícil se chegar a um número exato, pois não estão organizados em igrejas, nem em grupos domésticos.
O governo não reconhece legalmente a liberdade religiosa e nem lhe dá proteção. A prática pública de religiões não-muçulmanas é proibida. O governo não permite que clérigos não-muçulmanos entrem no país com o propósito de dirigir cultos, apesar de alguns o fazerem em segredo.
O proselitismo e a distribuição de materiais não-muçulmanos, como Bíblias, são ilegais.
O governo oferece uma recompensa equivalente a um ano de salário - um prêmio tentador para muitos - a qualquer pessoa que denunciar uma reunião cristã.

Pedidos de Oração
1. Ore para que as reuniões realizadas por esses pequenos grupos continuem a ser toleradas e sejam uma fonte eficaz de testemunho e comunhão.
2. Ore e peça que Deus dê coragem aos novos convertidos, capacitando-os a enfrentar a perseguição pelo amor ao evangelho.
3. Ore pelo retorno das boas relações entre os líderes islâmicos e os cristãos, o que permitiria a entrada de mais trabalhadores cristãos no país.

 Fonte: www.portasabertas.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário